quarta-feira, 2 de março de 2016

Esforços Cisco para escapar do mundo do dispositivo de rede

A expansão dos serviços virtualizados ameaçando a era dos hardwares


O gigante das redes disse que estaria reforçando sua plataforma de aplicação do controlador de infraestrutura (APIC) com um novo conjunto de ferramentas de automação apelidado APIC-EM, juntamente com o lançamento de um serviço de análise de rede em nuvem e uma ferramenta de organização para gerenciar instâncias virtualizadas de ambos servidores e dispositivos de rede. Os produtos são parte da nova plataforma Digital Network Architecture (DNA) da Cisco, um esforço para separar ferramentas de gerenciamento de rede a partir de dispositivos de hardware específicos.

APIC-EM trará uma série de ferramentas de automação para a política APIC. As novas ofertas incluem ferramentas e APIs para a instalação plug-and-play, permitindo que as empresas apliquem imediatamente as permissões e políticas sobre os novos aparelhos de rede.

Ferramentas Cisco APIC-EM


A ferramenta de rede, network function virtualization (NFV) irá, como seu nome sugere, ajudar a simplificar o processo de implantação de dispositivos de rede virtualizados. Segundo a Cisco a ferramenta permitirá que aparelhos incluindo controladores WAN, firewalls e roteadores virtuais possam rodar em qualquer hardware podendo ser o próprio UCS da Cisco ou em hardwares de terceiros.

Na frente da nuvem, a Cisco está lançando sua ferramenta de análise Connected Mobile Experiences (CMX) como um serviço na nuvem. A ferramenta CMX é capaz de monitorar a atividade local, dispositivo Wi-Fi, como o tráfego de pedestres e locais de sinalização digital para uso com ferramentas de análise. Anteriormente esta era uma aplicação on-premise, a Cisco está esperando que ao fazer da CMX um serviço de nuvem irá ajudar a expandir o uso do negócio.

A mudança do hardware para redes definidas por software não é nada novo, a Cisco e seus concorrentes já trabalham durante anos para essa transição, mas o diretor Cisco para redes corporativas Prashanth Shenoy disse que a empresa tem procurado recentemente levar as coisas um passo além, mudando os seus próprios pontos de vista internos de como melhor gerenciar redes.