GearBest

terça-feira, 28 de março de 2017

EUA: Em Breve as Operadoras de Internet Poderá Vender o Seu Histórico de Navegação

O que os seus clientes pode fazer?


historico de navegacao ISP
Vende-se dados de usuários

A Câmara dos Deputados dos EUA votou a privacidade da internet (em conjunto com o Senado ), e a legislação irá para a Casa Branca para a "canetada" final do Trump. É esperado que ele assine rapidamente, assim como para os usuários da Internet esta na hora de começar realmente a pensar sério sobre privacidade.

Nos termos da legislação, a operadora de Internet (ISP) terá o direito de coletar e armazenar todo o seu histórico de navegação - quais domínios você visitou, quanto tempo você gastou em determinados sites e até mesmo quais páginas você visualizou em alguns sites. Do ponto de vista da privacidade, todas as regras estão agora desaparecidas e cabe aos ISPs decidir o que querem fazer com os seus dados.

Isso vale para wireless, bem como ISPs de linha fixa. Lembre-se dos supercookies que aparecem nos navegadores dos telefones das pessoas há alguns anos sem que ninguém saiba deles? Eles estão de volta nos chips de algumas operadoras dos EUA, assim como os redirecionamentos dos mecanismos de busca dos provedores que verificam se eles podem desviar um questionario para fins lucrativos.

"Se essa lei passar, não há nada que você possa fazer, você está ferrado", disse o especialista de segurança Bruce Schneier em um site de noticias . "Costumava ser apenas o Google que sabia que tipo de pornografia todo mundo gostava, agora vai ser as operadoras (ISPs) que têm esses dados e eles vão armazenar e usá-lo."

É o armazenamento que é particularmente preocupante. Ter um histórico de navegação completo para um destino torna a engenharia social muito fácil e, como Schneier ressalta, os ISPs têm uma reputação ruim para proteger seus dados contra hackers. Ele disse que sua segurança faz com que a NSA e a CIA parecem boas.

Embora seja possível gravar o histórico do navegador de um indivíduo e vendê-lo, os ISPs são mais propensos a recolher os dados agregado. Se o governo vem batendo, um ISP pode colocar alguém em vigilância, mas ISPs são esperados para tomar a abordagem utilizada pelo Facebook e Google e oferecer aos anunciantes um pacote pelo qual eles podem chegar a um certo número de pessoas com os interesses certos.

"A América corporativa tem tudo a ver com uma corrida para o fundo", opinou um defensor da desta lei. "O que essas empresas vão fazer quando os acionistas exigirem que eles aproveitem o novo fluxo de receita?"

Então, o que deve ser feito para os usuários de internet dos EUA?

E se essa moda peda por aqui?
Em tempos de câmara dos dePUTAdos e senado votando e aprovando leis na calada da noite eu não ficaria surpreso com tal notícia.